Certificados públicos - Entradas de dados que violam as normas da indústria

Requsitos da linha de base e violações da RFC 5280

Para certificados publicamente confiáveis, normas da indústria (requisitos básicos e RFC 5280) exigem que entradas de dados cumpram certos critérios. Violar essas normas ao pedir um certificado impede uma Autoridade de certificação (CA) de emitir o certificado.

Violação do valor da unidade organizacional

Para certificados publicamente confiáveis, o valor da unidade organizacional não é um valor (campo) obrigatório. De acordo com os requisitos básicos, As Autoridades de certificação (CAs) só são requeridas para validar o valor da unidade organizacional, quando um valor é fornecido. Se você deixar este campo em branco (não fornecer um valor de unidade organizacional), CAs são instruídas a não incluírem o campo no certificado.

Requisitos básicos também proíbem que este valor seja ou pareça ser dados de "lixo eletrônico" ou indicadores de inaplicabilidade (na, ?, etc.), que ajuda a tornar os certificados menores. Ao manter os certificados menores, isso assegura que TLS permaneça acessível a uma grande variedade de usuários e operadores de sites.

A lista abaixo possui alguns dos caracteres que se inseridos sozinhos no campo de unidade organizacional não representam um valor de unidade organizacional válido.

  • "-" (Hífen)
  • " " (Espaço)
  • "." (Ponto)
  • "?" (Ponto de interrogação)
  • "na" (não aplicável)
  • "NA" (não aplicável)

Se apenas colocar um hífen no campo da unidade organizacional, uma CA não poderá validar o valor. Contudo, se você inserir um nome da organização que inclui um hífen nele (por exemplo, Dev-Ops), este hífen não impede que um CA valide seu valor da unidade organizacional.

Violação do limite máximo de 64 caracteres

Para certificados publicamente confiáveis, não podemos permitir que estes valores (entradas de dados) excedam o limite máximo de 64 caracteres, incluindo espaços:

  • Nome comum
    Não podemos permitir que o valor do nome comum exceda o limite de 64 caracteres. Contudo, o valor de nomes alternativos da entidade (SANs) não tem as mesmas restrições de comprimento de caracteres que o valor de nome comum. Os SANs incluídos em um pedido do certificado (por exemplo, em um pedido de certificado Multi-Domain SSL) podem ser maiores que 64 caracteres.
  • Organização
    A organização inclui um nome presumido? E, está planejando em validar esta organização para certificados de validação estendida (EV)?
    Então, certifique-se de que o nome da organização + valores de nome presumido não excedam 64 caracteres, incluindo espaços.
  • Rua 1
  • Rua 2
  • Cidade
  • Estado
  • CEP

Violação do uso de sublinhados

Para certificados publicamente confiáveis, não podemos mais permitir o uso de sublinhado ( _ ) em:

  • Nome comum da entidade
  • Nome alternativo da entidade (SANs)

A partir de 1 de outubro de 2018, só podemos emitir certificados para domínios e subdomínios usando:

  • Letras minúsculas a-z
  • Letras Maiúsculas A-Z
  • Dígitos 0–9
  • Caracteres especiais: ponto (.) e hífen (‐)

Atualmente, você pode incluir sublinhados em outros valores do certificado, como unidade organizacional e nomes da organização. Contudo, o uso de sublinhado nesses valores está sendo reavaliado. Normas da indústria podem mudar e exigir que você remova os sublinhados desses valores também.